Muita calma nessas férias: Viagem de Cruzeiro

Antes de ler, assista o vídeo:

No final de 2011, fizemos nosso primeiro Cruzeiro juntos, rumo à Buenos Aires.
Na época, me lembro de ter jurado nunca mais fazer outro. Mas o tempo passa, e com ele vão algumas das nossas lembranças, ou pelo menos, alguns dos nossos medos.

Quando meu pai chegou há duas semanas com uma viagem de Cruzeiro de presente pra gente, nem me lembrei dos enjoos em alto mar, das pessoas desnecessariamente bêbadas e da superlotação.
Diante de todo o stress que temos vivido com a Obra e com o trabalho, nem hesitei em aceitar. Com certeza dar uma fugida seria uma boa ideia.
De fato, foi! Foram 5 dias de muito descanso, comida pronta e sem precisar lavar a louça, e principalmente: tempo livre. Dolce far niente, como dizem os italianos. A milenar arte de não fazer nada.

Existe 3 tipos de pessoas em um Cruzeiro:
O primeiro é aquele cara de 28 anos que ainda acha que é adolescente. Normalmente viaja em bando, e mesmo parcelando tudo em 24x, compra o pacote mais caro de bebida, com energético e Red Label liberado. Bebe o dia inteiro, fazendo questão de fazer valer cada centavo que gastou no pacote de 50 dólares por dia. Esse tipo normalmente passa o dia inteiro na área da piscina, curtindo as atividades da equipe de Animação do Cruzeiro, como lambaeróbica, bingo, gincana, aulas de como fazer bichinhos com guardanapos, enfim…É do tipo sociável. Porém, depois do meio dia já começa a causar vergonha alheia. Começa a vomitar pelos cantos, dança de sunga em cima da mesa, escorrega no chão molhado e precisa de 5 pessoas pra ajudar a levantar.
É um tipo muito comum. Eu diria que é quase a maioria.

O segundo tipo é aquela senhorinha já de idade, no auge dos seus 80 anos, que junta as amigas ricas e vão de caravana. Em sua maioria, são fofas. Desfilam pelo navio com roupas de gala em pleno meio dia, vão aos espetáculos de teatro todas as noites e estão em todas as festas onde é possível dançar coladinho com os animadores. São carta marcada nas aulas de culinária italiana, nos jantares e na festa de gala onde apresentam os oficiais e o Capitão.
Se sentem no Titanic. Como se o cruzeiro fosse algo glamuroso e cheio de pompa. São facilmente iludidas pelos corrimões dourados e pelos produtos chineses vendidos no Free Shop.
As senhorinhas sempre participam das excursões quando o navio chega a alguma cidade, e adoram tirar fotos em frente ao buffet do almoço, em frente à piscina, sentada no piano, abraçando o Capitão, etc.

O terceiro tipo somos nós. Que só estamos ali pra aproveitar a roupa de cama de qualidade, a comida e a louça que se lava sozinha. O nosso tipo não tem a capacidade física de beber 50 dólares por dia, por isso, não tem pacote de bebida alcóolica liberada, o que significa que temos metade da diversão do primeiro tipo, os bêbados. Mas a nossa diversão é outra. Acordamos tarde e perdemos o café da manhã na maioria das vezes, assistimos filmes velhos e repetidos dentro da cabine e embaixo do cobertor, passamos a tarde e a noite jogando no Cassino, lemos um bom livro em algum lugar deserto, comemos sem culpa, e toda hora.

Falando nisso, a parte mais legal de um cruzeiro é o Cassino. Na primeira viagem que fiz com a minha família, eu e meu irmão aprendemos e ficamos viciados em jogar Poker. Pagamos nossa conta do Cruzeiro com o dinheiro que ganhamos jogando naquela viagem. E depois disso o meu irmão se profissionalizou no negócio. Ele, que já ganhou um monte de troféu em campeonatos de Poker, já perdeu a conta de quantos Cruzeiros já fez desde 2011, sempre pagando a viagem e a conta com o que ganha no Cassino do Navio.
Na verdade, ele faz parte de um quarto tipo, do qual ainda não encontrei outro exemplar igual: do tipo garoto de 21 anos que só vai pro Cruzeiro pra jogar Poker, tomar Tequila Sunrise e dormir.

Outra parte boa do Cruzeiro é a comida. Normalmente você come o dia inteiro, mesmo – e principalmente – quando não está com fome. É hambuguer, cachorro quente e pizza rolando na piscina o dia inteiro, almoço com um monte de opção e um jantar num restaurante chiquesinho à noite, com pratos mais gourmetizados.
A comida normalmente é boa. Mas dessa vez achei que ficou meio a desejar.

Os Cruzeiros também são conhecidos pelas festas. Toda noite tem uma. É de gala, de forró, anos 70, rock n’ roll, tropical. O povo adora alguma coisa temática. Além disso, ainda dá pra se divertir no Spa, no Free Shop (nunca têm nada muito interessante), nos bares com música ao vivo, na biblioteca (oi?) ou no Teatro (os espetáculos não são lá grandes produções, mas dá pra se divertir).

Por fim, viajar de Cruzeiro pode ser mega divertido, se você for aquele tipo 1 (bêbado em bando), super hiper ultra fun se você for do tipo 2 (senhorinha glamurosa). Pode ainda ser super lucrativo, se você for do tipo 4 (meu irmão), ou simplesmente relaxante se você for do tipo Nós, que precisa estar no meio do oceano pra ficar sem internet e só assim conseguir descansar de verdade.

O Cruzeiro que fomos dessa vez foi o Sovereign, da Pullmantur. Saímos do Rio, paramos em Búzios, Paranaguá e Santos.
Mas recomendo mais o Grand Holiday, da Ibero. Achei muito mais digno.

c14
c1c2c3c15

c5c6c7c8c9c10c4c11c12c13

manu

 

Comentários

comentários

4 comentários sobre “Muita calma nessas férias: Viagem de Cruzeiro

  1. Nossa Manu, sempre quis viajar de cruzeiro. Mas tenho medo de ficar enjoada com o balanço, dizem que fora do Brasil balança mais…Mas que os cruzeiros só por aqui são mais tranquilos…Adorei as fotos, tô louca pra um dia experimentar! hehehe
    Bjs

  2. Que luuuuuxo! E olha, pagar a viagem com o dinheiro ganho no poker é jogo, hein?
    Teu irmão é um cara inteligente! hahahahahhahahaa
    Amei o vídeo, ficou super fofo e bem editado…lindos!!

  3. Fui duas vezes nesse mesmo navio, em 2012 e em 2013; da primeira vez, era tudo novidade, achei tudo lindo e maravilhoso. Já da segunda… sei lá, fiquei um pouco decepcionada com o serviço. Lógico que curti o momento, mas se me perguntassem naquele momento se eu voltaria, eu responderia que não.
    P.S.: eu tô vendo as inscrições do Um Anel ali no seu braço? Caraca, sou MUITO fã de O Senhor dos Anéis! 😮 #morri

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *